domingo, 22 de novembro de 2009

Colégio Carmo- Aplicando o Gestar II

Você ,agora ,irá se disfarçar de repórter por um dia e deverá, nesta nova função produzir uma notícia de jornal que informe os leitores sobre os episódios ocorridos na história da Chapeuzinho Vermelho. Imagine-se um repórter que faça parte da história e que tem o importante papel de noticiar a todos o que aconteceu com a menina e sua avó.

Atividade da aluna Isabela J. Kneip Ramos - 4º ano de escolaridade


Chapéu News

Bosque Encantado 22/10/2009


EXTRA!EXTRA!Lobo Mau não incomoda mais ninguém!

A mais falada notícia é a morte do Lobo Silvério da Silva Mau, mais conhecido como Lobo Mau.Foi morto pelo caçador Luís Peixoto logo após ter comido a avó de Maria Aparecida, mais conhecida como Chapeuzinho Vermelho.A avó de Chapeuzinho , Joana Aparecida, foi retirada da barriga do Lobo alguns minutos após ser comida por ele .

O depoimento de Joana foi este: "Eu tenho um pouco de pena do Lobo Mau, mas ele mereceu este castigo". O depoimento de Chapeuzinho foi bem diferente:!Bem feito para aquele Lobo Bobo.Quem mandou ele mexer com a família Aparecida?!
"Saberemos mais alguma coisa sobre o Lobo Mau? Ou ele bateu as botas realmente?"

Atividade da aluna:Luíza Moura Rezende - 4º ano de escolaridade

CHAPEUZINHO NEWS

Notícia
Acaba de ser lançado o novo livro da Chapeuzinho Vermelho. Agora ele se passa na cidade grande e a Chapeuzinho trabalha em uma padaria para sustentar a família.Ela tem que entregar os pães para D. Carla, mas não sabe o caminho.

Entrevista com Chapeuzinho Vermelho:

Como você se sentiu fazendo o livro?


Chapeuzinho: Entusiasmada por ter mais um livro.

É verdade que você quer ser atriz?

Chapeuzinho:Sim. No ano que vem vou fazer um filme chamado "Um novo conto da nova Chapeuzinho"

Vai fazer algum seriado de T.V.?

Chapeuzinho: Sim. Chapeuzinho na sua TV

E. Mul.Profª Carmelita Guimarães - Gênero Diário


Durante uma semana, os alunos do 6º ano de escolaridade da E.Mul.Profª Carmelita Guimarães , foram convidados a redigir um diário contando tudo o que desejassem.Os trabalhos ficaram lindos e as crianças adoraram a ideia de confeccionar seus próprios diários!Além disso, muitos alunos pretendem continuar a escrever em seus diários e com isso desenvolverão ainda mais as habilidades de leitura, interpretação e produção textual.Parabéns galerinha linda!
Profª Luciana



06/11/09

Hoje eu acordei ansiosa por causa do Encontro de Adolescentes em Petrópolis. O ônibus saiu às 16h. Foi uma barato curtir um passeio diferente para falar de Deus.

07/11/09

Hoje eu acordei às 6:30h, tomei café e fomos para a capela rezar. Depois almocei e a tarde fomos para a piscina. A noite teve uma balada para a gente se divertir.

08/11/09

Acordei novamente cedo, rezei e depois fomos para uma gincana. Meio -dia foi a missa e 13:30h nós almoçamos. Hoje o encontro se encerrará com uma missa na igreja de Petrópolis. Foi muito bom!!!

09/11/09

Acordei cedo, mas não fui à escola porque não estava me sentindo bem. Passei o dia todo na cama.

10/11/09

Acordei e fui para a escola e chegando lá os meus colegas de sala me disseram que eu tinha que fazer uma diário. Gostei da ideia. Cheguei, almocei e descansei para estudar para a prova.

11/11/09

Fui para aula e quando cheguei para almoçar, eu me lembrei que a tinha várias tarefas que a minha mãe pediu para eu fazer. Depois eu dormi a tarde toda.

12/11/2009

Fui à aula cedo. Como eu estou ficando cansada com tanta tarefa para entregar, tive que dormir um pouco porque não estava aguentando. À noite andei de bicicleta.

13/11/09

Hoje é o dia de entregar o diário para a Professora Luciana. Espero que ela goste!!!

E. M.Profª Carmelita Guimarães - Textos sobre Natal



Produção de Texto da aluna: Wessila Loureiro de Assis (6º ano 2)

Era uma vez, no Estado de Minas Gerais, em uma cidade chamada Cataguases, uma lenda. Essa lenda era diferente de todas, lá não se poderia comemorar o Natal.
Até que um dia, mudou-se para lá uma família alegre que, não sabendo dessa lenda, comemorou. De repente, a meia noite a cidade toda mudou:as árvores deram frutos e flores, os animais ficaram bondosos e etc.
Ao amanhecer, quando todos os moradores acordaram, todos ficaram maravilhados , alguns gritavam:
- Estamos livres da maldição!Viva!
Mas havia um castelo onde vivia uma mulher chamada Raquel. Ela era muito má.Nesse tempo o Natal era comemorado no dia 20 de dezembro , os cientistas comunicaram o dia verdadeiro e todas as famílias comemoraram , assim a Raquel má se desmanchou.


Produção de texto da aluna : Dayana

(6º ano 2)


Era uma vez um menino que sempre adorava o Natal.Num grande dia de Natal, seu pai morreu, então todo ano quando chegava o Natal , o menino lembrava de seu pai, e não comemorava, ele ficava sempre num cantinho chorando.

Então, um dia , seu pai apareceu para ele e lhe disse que ele tinha que aproveitar a vida enquanto ele era criança porque quando ele fosse adulto ele não poderia mais brincar, jogar bliosca,andar de bicicleta, ele só ia ter tempo para o trabalho, para os filhos e a mulher.

Então, depois do que o pai disse isto , ele começou a brincar mais, aproveitar mais a vida e comemorou mais o Natal.

Produção de texto da aluna: Dryelli Dutra Dias (6º ano 2)

Natal


Era uma vez, uma menina pobre chamada Aline. Ela tinha 7 anos e sonhava todos os dias em ganhar uma boneca gigante de Natal.
Um belo dia, passou um homem muito rico e viu Aline chorando na rua então ele perguntou-a:
- Por que você está triste minha jovem?
- É porque eu quero ganhar uma boneca de Natal mas só com 1 real não dá pra comprar!-respondeu a menina.
Então o homem comprou uma boneca para a menina, mas a menina ainda não estava feliz, então o homem perguntou:
- Você não gostou da boneca? - falou o homem.
- Não é isso.
- Então o que é?
- É porque eu não tenho casa,nem comida e vou passar o Natal na rua.
- Se é isso porque você não me falou?Vou te levar para morar comigo.
Depois do gesto do homem toda a cidade começou a ajudar os pobres.



E. Mul. Profª Carmelita Guimarães - Textos sobre o Natal


Produção de texto da aluna: Larissa Rocha Garcia (6º ano 2)

Era uma vez uma menina que se chamava Beatriz. Certo dia, na véspera de Natal, ela foi a casa de sua avó passar o dia.
Beatriz era uma menina carente, não queria saber das coisas e não se importava muito com o que acontecia lá fora , por isso ela não conhecia o Natal.
Ao chegar a casa de sua avó, ela viu vários enfeites, uma árvore enorme toda montada na sala e sua avó estava preparando uma almoço de Natal.
Beatriz era sempre muito desinteressada mas desta vez, perguntou a sua avó o que era tudo aquilo e ela respondeu:
- Mas, minha neta, você não sabe que isso tudo são os últimos preparativos para o Natal?
Ela respondeu que não , por isso sua avó lhe contou tudo sobre o Natal e Beatriz a partir daquele dia se tornou uma curiosa menina e ficou muito feliz com tudo que sua avó lhe contou.

Gestar II - Unidade 8 - Linguagem figurada

Atividade 2

Estou mais por fora que umbigo de vedete

Essa comparação , de claro tom humorístico, tinha sua razão se ser em meados do século passado, quando, teoricamente, só as vedetes expunham seus umbigos nos shows musicais. Mas outras comparações aparecem sempre, quando se trata, como nesse caso, de sugerir o nosso desconhecimento sobre determinado assunto.

Que comparações ( de igualdade ou de superioridade) são usadas em seu ambiente para indicar:

a) pobreza : Estou mais quebrado que arroz de terceira.

b) pessoa que fala muito: Fala mais do que pobre na chuva.

c) pessoa muito lenta: É mole como uma lesma.

d) pessoa muito boa: É um anjo !

e) pessoa muito gorda: É uma broa! É uma baleia! É uma rolha de poço.

Gestar II - Unidade 6 - Atividade 1

TEXTO: Parceria

AUTORA: Stela Maris Rezende

Atividade 1

A - Com relação à troca de bilhetes, em sala de aula, responda:

a) Você acha verossímil a situação apresentada?

R= Sim, ela faz parte do cotidiano escolar e é muito comum. Confesso que eu mesma já troquei bilhetinhos durante as aulas com minhas amigas quando a aula era de professores mais severos.

b) Os bilhetes tratam de vários assuntos. Quais são eles?

R = Tratam de várias questões que fazem parte do cotidiano das garotas como : família, ambiente escolar, sonhos, aspirações das meninas.

c) Os assuntos dos bilhetes vão e voltam, ou mudam de rumo com frequência. Parecem desalinhavados. Você vê algum motivo para que eles se apresentem desta maneira?

R = Os assuntos realmente não são muito alinhavados pois são interrompidos pelo andamento da aula , pelos movimentos do professor e também pelos pensamentos das duas alunas que mudam de acordo com a aflição do momento, coisa típica de adolescentes que pensam em várias coisas ao mesmo tempo.

d) Os sentimentos e comentários das alunas sobre os professores são verossímeis?

R = Sim. Elas demonstram mais afinidade com uns do que com outros, em função até mesmo de sue interesse pelas disciplinas que lecionam ou de gostos pessoais.

B - Indique abaixo traços regionais da linguagem de adolescentes.

R = No texto as adolescentes usam expressões bem regionais como: carecer, prosear,entibiada, dever de.

C - Indique, agora, traços do registro informal dos bilhetes.

R = O uso de formas abreviadas como "tá", formas como "facinho", o vocativo "sua boba", iniciam períodos com pronome átono, misturam os pronomes de tratamento (você e tu).

D - Se você pegasse os bilhetes de duas alunas, você corrigiria a linguagem deles? Justifique.

R = Não, pois se trata de uma linguagem informal onde eles se comunicam usando uma linguagem própria e não estão sendo avaliados.

E - As adolescentes apresentam duas paixões literárias.

a) Qual o resultado dessa paixão , na vida das duas?

R = Ambas desejam ser escritoras.

b) Que relação há entre a paixão e o nome delas?

R = Os nomes lembram as escritoras preferidas : Célia/Cecília e Clara/ Clarice.

c) Como você justificaria o título do conto?

R = O título sugere a relação de amizade, confiança e companheirismo entre as duas que também lembra a vida artística em que é comum haverem parcerias.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

E.Mul.Profª Carmelita Guimarães - Halloween 2009











Foi um sucesso o Halloween 2009 em nossa escola!
Graças a colaboração de todos os alunos que confeccionaram maquetes e cartazes sobre o tema além de contribuírem com doces,balas, pirulitos, bolos e gelatina para a montagem de uma mesa temática maravilhosa!
A festa contou com desfile de fantasias, apresentação de dança, discoteca e o lanche típico.
Os vencedores do concurso foram premiados com brindes gentilmente cedidos pelos professores .
Obrigada a todos os alunos, a direção, funcionários e professores e principalmente a nossa orientadora Mª Luíza pelo brilho da comemoração!























































Gestar II - Unidade 2 - Atividade 16

Atividade 16
Temos um texto publicitário típico. Publicado na Pais & Filhos, dirige-se claramente ao leitor da revista - aos pais ( e talvez mais às mães ), falado, naturalmente das crianças, os "invasores".
Com o objetivo de um texto desse gênero é seduzir o leitor para "tomar uma decisão" - aqui, a compra , obviamente - o jogo da imagem com o texto verbal deve ter uma organização capaz de convencer os leitores. Nestes textos, que podemos chamar de mistos ,devemos ter o mesmo cuidado para ler o verbal e o não-verbal. Seus autores têm uma intencionalidade , ao usar juntos signos diferentes.Vamos, então à análise:

A- Como se entrelaçam texto e imagem?Entre os três blocos de texto verbal, que imagens aparece?

R = As duas imagens intercalam os blocos de textos verbais. Na primeira, vemos pessoas encobertas por lençóis. Na segunda, aparece o "invasor" uma criança do sexo masculino.

B - Quando falamos em acabar com invasores, imaginamos o extermínio de inimigos, que inicialmente estão sempre escondidos. O que há de interessante no caso dessa "receita"?

R = Neste texto , não se pretende "matar" invasores, mas sim ocupá-los fora do quarto dos pais com atividades educativas que o farão se desenvolver mais.

C - A posição em que é tomada a primeira foto é muito interessante.Por quê? Que relação ela tem com a primeira frase?
R = NA foto podemos identificar dois pés adultos a mostra sob os lençóis e ,entre eles, a um "montinho" escondido ou seja o "invasor" citado no texto que vem a ser o filho do casal.

D - O objeto salvador, sugerido na receita, não é um Lego qualquer. Como é ele e que importância tem isso para se ficar livre dos invasores?

R = É um Lego duplo, o que dá a impressão de que a criança ficará um bom tempo montando seu brinquedo e isso a distrairá deixando sossegados os pais.

E - Por que os pais vão poder "relaxar", comprando Lego Duplo?

R = Lego é um brinquedo educativo que trabalha a inteligência da criança, além de não ter contra-indicação e nem peças que podem ser engolidas.Quer dizer: os pais podem ficar despreocupados por mais tempo na cama.

F - A idade das crianças tem alguma importância neste anúncio?

R = Sim, o brinquedo é adequado para a faixa de um ano e meio a cinco anos de idade.

G - Observe o invasor descoberto: que características sua carinha sugere?

R = De que se trata de uma criança saudável, esperta e" levada".

H - Como os fabricantes sugerem que o brinquedo pode atender a diferentes gostos e idades?

R = Através da indicação da faixa etária e da informação que ele desenvolve habilidades e a criatividade na fase pré-escolar.

I - Onde se apresenta a sugestão de compra e de que forma?

R = Logo abaixo da imagem do texto e através do texto verbal persuasivo "leva logo Lego"

J - Por que, junto à palavra "duplo", há a figura de um coelho?

R = Provavelmente porque o coelho é o símbolo da marca e devido a sua característica multiplicativa abundante.

L - A clara divisão das cores, na propaganda, sugere-lhe algo?

R = Sim. Primeiramente a divisão dos dois ambientes , o do quarto do casal e da criança e depois a pretende mostrar que com Lego tudo fica mais colorido,atraente e divertido com o objetivo de impressionar a criança que é o alvo do anúncio.

M - Você acha que a linguagem verbal tende ao formal ou ao informal? Justifique.

R = A linguagem tende ao formal pois, o anúncio apesar de ser de brinquedo infantil será lido pelos pais das crianças e deve conter uma linguagem mais adequada ao mundo adulto quando dá as informações técnicas do brinquedo,apesar de apresentar também uma linguagem informal no slogan "Leva logo Lego".

Gestar II - Unidade 2 - Variantes linguísticas: desfazendo equívocos

Atividade 1

Gostaríamos de saber como você se relaciona com a norma culta. Responda , com sinceridade e sem inibições:

A - Você considera que usa a norma culta? Justifique:

R = Sim, apesar de meu dia-a-dia usar também gírias e um pouco do idioleto mineiro, profissionalmente ,uso 99% do tempo a norma culta.

B - A forma como você usa a norma culta constrangeu você ou seu interlocutor, alguma vez?

R = Posso dizer que às vezes sim pois quando nos dirigimos escrita ou oralmente a um interlocutor que não usa a norma culta ela traz ,de certo modo ,um constrangimento.

C - Como você vê o ensino da norma culta a seus alunos?

R = Acho muito importante pois o aluno tem de saber como usar ,em determinadas situações ,as variantes da língua principalmente ao escrever e em uma situação de formalidade, como em uma entrevista de seleção.


Gestar II - Unidade 24 - Leitura para adolescentes

Atividade 2

Texto: Conversa pra boy dormir (Leo Cunha)

Atividades:

a) Antes de mais nada, apresente sua opinião sobre o texto lido. Gostou da leitura?Saberia explicar as razões dessa opinião, favorável ou não?

R = O texto é muito bom e tem elementos descritivos e narrativos no ponto certo, sem deixá-lo cansativo e está dentro do universo do adolescente ( quarto bagunçado, presença do pai, universo literário).

b) Se gostou do texto, como pensa que poderia aproveitá-lo como leitura de sua turma?

R = Poderia aproveitá- lo para leitura e interpretação , como um gancho para avaliar o tipo de leitura preferida pela turma, investigar o papel da literatura no cotidiano dos alunos e seu contato com o mundo literário, autores e obras conhecidos e preferidos. Usando todos estes argumentos os alunos poderiam então produzir textos a respeito de sua experiência como leitores.

c) Ainda que não tenha gostado do texto, você o aproveitaria para leitura de seus alunos?

R = Gostei do texto e o indico para um trabalho com alunos na faixa na faixa de 9 a 15 anos.

Atividade 3

Questão 1
( x ) b ) apresenta vários títulos de obras importantes.

Questão 2
( x ) a) nela o narrador conta uma história sobre personagens, em certo espaço e certo tempo.

Questão 3
( x ) a) O narrador resgata a sua própria infância.

Questão 4
( x ) d) O livro de literatura faz parte de um universo cultural mais amplo.

Questão 5
( x ) c) A família leitora tem influência marcante na criação do gosto pela leitura.

Questão 6
( x ) O narrador gosta de contar histórias.

Questão 7
( x ) c) O menino sente saudade da mãe.

Questão 8
( x ) a) O narrador personagem evita confessar fragilidades suas.

Questão 9

Marque A nas atividade que você considera adequadas e I , nas que considera inadequadas:
( I ) a) Exigiria que todos lessem o livro, para, algumas semanas depois, avaliar a leitura na prova trimestral.
( I ) b) Como elemento surpresa, pediria ao melhor aluno em leitura que lesse em voz alta o texto para os colegas, em primeira mão.
( A ) c) Levaria o livro para uma turma e exploraria a capa principalmente o trocadilho do título do livro.
( I ) d) Aproveitaria o texto para ajudar o aluno a conjugar adequadamente o imperativo ou os tempos do pretérito dos verbos que aparecem no trecho.
( I ) e) Aproveitaria os títulos indicados para explicar aos alunos por que eles constituiriam a leitura obrigatória, ao longo do ano, por serem muito bons.
( I ) f) Aproveitaria os títulos para apresentar a biografia dos autores, enfatizando onde e quando nasceram.
( A ) g) Aproveitaria o título das obras para apresentar as personagens principais e o assunto de cada uma, para os alunos escolherem o que ler.

Questão 10

Das obras citadas no texto, informe:

a) Quais você conhece integralmente?

R = A Bolsa Amarela e O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá.

b) Quais você conhece só através de trechos de livros didáticos?

R = Os contos de Andersen e As Aventuras de Astérix.

c) Dentre os autores citados, quais você costuma sugerir para seus alunos?Justifique:

R = Todos, pois são leituras indicadas para crianças e adolescentes. Lygia Bojunga , por exemplo é uma autora premiada com o equivalente ao Nobel da Literatura Infantil com A Bolsa Amarela

sábado, 24 de outubro de 2009

HALLOWEEN

http://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_das_bruxas Comentários : Nesta página estão dados importantes para perquisa sobre as festas de HALLOWEEN.

domingo, 18 de outubro de 2009

Gestar II - Unidade 22 - Atividade 3

Atividade 3
1 - Escreva sobre uma experiência engraçada da sua vida de estudante.
R = No meu primeiro dia de aula ,já na 8ª série em uma nova escola ,fui mandada para fora da sala de uma maneira engraçada, pois na verdade fui mal interpretada pelo meu professor!
Este professor era muito rígido, tinha muita disciplina mas tinha um jeito meio ríspido de tratar os alunos e não admitia chicletes em suas aulas.
Quando me virei para conversar com uma colega ela tinha acabado de estourar uma bola de chicletes e ficou com o chicletes agarrado na cara. De repente tive um acesso de riso , e é sempre assim, quando eu começo não consigo me controlar, o professor ao me ver rindo descontroladamente veio perguntar:
- Você está rindo de mim ou para mim?
E nem quis saber de mais nada me colocou pra fora da sala e lá fui eu chorar nos corredores da minha nova escola e logo no primeiro dia!

2 - Escreva um texto sobre a sua história como educadora, como surgiu a motivação, como se sentiu e argumentou, justificando as suas escolhas. Vamos, porém , antes de escrever o texto em si planejá-lo.

a) Leia atentamente o que está sendo pedido. Quais os itens que estão sendo requisitados pelo comando?

R = A escrita de um texto auto biográfico, surgimento de interesses, escolhas e justificativas das escolhas feitas.

b) Considere a função e o objetivo do texto.

. função - referencial
. objetivo - narrar uma história pessoal e desenvolver argumentos sobre as escolhas feitas.

c) Liste dois ou três eventos e tópicos que poderiam ser parte deste texto:

. Curso de Magistério
. Estágio do curso de Magistério
. Uma escolha consciente

d) Defina alguns elementos essenciais ( época,ou idade que tinha, onde aconteceu, quem estava envolvido, como começou, etc. ) para narrar cada um dos eventos e tópicos listados.

. Época - anos 80
. Idade - 17 anos
. Onde aconteceu - Cataguases / M.G.
. Como começou - durante o estágio supervisionado do curso de Magistério


e) Adicione ideias que possam justificar os eventos e tópicos que escolheu
. Período de estágio
. Observação do trabalho de alguns profissionais
. Período de escolhas
. Considerações sobre a escolha

f) Revise o que escreveu até agora e veja se há novas informações. Adicione-as:
. Local de estágio
. Escola
. Início do trabalho
. Motivo da escolha

g) Escolha os eventos e tópicos que vai utilizar e numere as informações, construindo uma primeira versão da sequência do texto:

R = Minha escolha profissional se deu nos anos 80 quando cursava o curso de Magistério no Instituto Nossa Senhora do Carmo.
Até aquela data várias profissões já haviam passado pela minha cabeça mas, naquela idade , já com a consciência das condições sócioeconômicas de minha família , comecei a perceber que ao terminar o curso teria que começar a trabalhar se quisesse fazer uma faculdade e durante o período de estágio comecei a me encantar com a tarefa de educar, principalmente crianças , que confesso que até hoje é o segmento da educação que mais me atrai.
Observei durante meu estágio, bons e maus profissionais e confesso que uma professora da classe de alfabetização ( o atual 1 ºano de escolaridade) foi o meu espelho durante todo este tempo de trabalho.
Adoro meu trabalho, faço-o com prazer e hoje não consigo me imaginar fazendo outra coisa.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Projeto Gripe Suína - E.Mul.Prof.ª Carmelita Guimarães

Ao iniciar o segundo semestre de 2009 fomos supreendidos pela pandemia de Gripe H1NI, a popular Gripe Suína.
Os alunos tiveram contato com diferentes portadores de texto sobre o assunto e para finalizar o trabalho produziram textos falando da experiência e do que tinha aprendido sobre a nova gripe.
O texto selecionado foi o do aluno Rafael Oliveira Souza do 6º ano de escolaridade 1.
A nova gripe no Brasil

A nova gripe no Brasil está matando muitas pessoas.
Para se previnir é preciso: lavar as mãos mais de 10 vezes ao dia, usar lenço ao espirrar ou tossir, não compartilhar alimentos, evitar colocar as mãos no rosto, nariz, boca e nos olhos, evitar aperto de mãos.
A gripe começou no México, foi para os Estados Unidos até chegar aos estados brasileiros.
Se você estiver com sintomas de gripe suína não tome medicamentos,corra diretamente para o Hospital mais próximo.

Trabalhando com poesia-E.Mul.Prof.ª Carmelita Guimarães

Após leitura e interpretação dos poemas "Coisas" de Maria Dinorah e "Uma dúzia de coisinhas que deixam a gente feliz" de Otávio Roth , os alunos do 6º ano de escolaridade ( turmas 1 e 2), da E.Mul. Profª Carmelita Guimarães foram convidados a criar seus próprios poemas a partir de um dos dois temas.Foi um trabalho prazeroso para os alunos que puderam falar de seus gostos pessoais.Vejam alguns resultados:

Coisas
Autora: Fabiana Souza Rodrigues (6º ano de escolaridade 1)

Coisas boas:
Amizade, professora, passeio, felicidade,
amor, harmonia
tudo que vier e der.

Coisas lindas:
Paisagens, o céu, as maravilhas de Deus,
o amor, os lagos, as praias
e tudo que Deus fizer.

Coisas de todos:
Praça, parque, escola, folhagem,
lua, sol,
São coisas de todos mas
como tem pessoas egoístas
nem tudo no mundo é da gente.

Coisas de poucos:
Milagre, vitória e medalha
pois nem todo mundo que quer,
consegue. Coisas
Aluna: Heiga Cristina Juvenal ( 6º ano de escolaridade 2)

Coisas boas:
bala, pipoca, chicletes, alface

Coisas lindas:
borboletas, poemas

Coisas de todos:
Educação, Respeito, lua, estrela ,lagoa

Coisas de poucos:
amor, paixão, carinho.
Coisinhas à toa que deixam a gente feliz
Autor: Gabriel de Souza Oliveira( 6º ano de escolaridade 1)

Brincar de pique
Ver televisão
Passear no sítio
Andar a cavalo
Brincar no computador
Andar de bicicleta
Brincar com meu cachorro
Ir ao parque.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Gestar II - Unidade 22 - Produção Textual: planejamento e escrita


Atividade 1

Leia os três textos a seguir:


TEXTO 1:


Poesia

Gastei uma hora pensando em um verso

que a pena não consegue escrever.

No entanto ele está cá dentro

inquieto, vivo.

Ele está cá dentro

e não quer sair.

Mas a poesia deste momento

inunda minha vida inteira.

Andrade,Carlos Drummond de . Alguma poesia.Rio de Janeiro,Record,2001.p.16



Texto 2:


Ah, sim, a velha poesia...

Poesia, a minha amiga...

eu entrego-lhe tudo

a que os outros não dão importância nenhuma...

a saber:

o silêncio dos velhos corredores

uma esquina

uma lua

(porque há muitas, muitas luas...)

o primeiro olhar daquela primeira namorada

que ainda ilumina, ó alma,

como uma tênue luz a lamparina,

a tua câmara de horrores.

e os grilos?

sim, os grilos?

os grilos são poetas mortos.


Entrego-lhe grilos aos milhões um lápis verde um retrato

amarelecido um velho ovo de costura os teus pecados as

reinvindicações as explicações - menos

o dar ombros e os risos contidos

mas

todas as lágrimas que o orgulho estancou na fonte

as explosões de cólera

o ranger de dentes

as alegrias agudas até o grito

a dança dos ossos...


Pois bem,

às vezes

de tudo quanto lhe entrego, a Poesia faz uma coisa que

parece que nada tem a ver com os ingredientes mas que

tem por isso mesmo um sabor total: eternamente esse gosto de nunca e

sempre.

Quintana, Mário.Nova Antologia. São Paulo,Globo,1981.p.92-93.



Texto 3:


Quando vem um vento forte elas

voam como aves, as folhas de papel,

como as folhas das árvores.Para

longe, onde não sejam lidas mais.

Antes estavam uma após a outra, 3,4,

5, na ordem.Agora só as 9 agora

entre 55 outras 13 folhas voadas 20

de outras 43 mesas agora 18 as letras

7 soltas agora sobre a 10 grama 62

da praça. Os pontos e as vígulas

espalhados como grãos de areia

sobre a praia.Agora pousadas nas

calçadas, de cara para a sola dos

sapatos, nas poças, agora estão

livres; as palavras

Antunes, Arnaldo.As coisas.São Paulo, Iluminuras,1982.p.81



ATIVIDADES:

a) Quais os prováveis leitores desses textos? A partir das informações oferecidas, onde foram publicados?

R = TEXTO 1: Pessoas que admiram poesia, alunos estudando literatura, poetas e escritores. Foi publicado no livro Alguma Poesia.

TEXTO 2 : Sendo o texto 2 um pouco mais profundo ,imagino que o leitor seja um admirador de poesia ou da obra do autor, professores e alunos universitários. Foi publicado no livro Nova Antologia .

TEXTO 3 : O texto 3 é bem moderno e atual ,apresenta uma linguagem intuitiva e deve ter como leitor um admirador da obra do autor, ou fãs curiosos que gostariam de conhecer um novo lado da obra do autor além é claro de poetas e escritores. Foi publicado no livro As coisas.

b) Qual a função do texto poético?
R = Função poética, trabalhando a expressividade para transmitir sensações,pensamentos e emoções do autor.

c) Qual o objetivo possível de poemas como esses? Justifique sua resposta, considerando a função do poema.

R = Os autores, através de diferentes formas estéticas, tem por objetivo narrar o seu processo criativo onde relacionam sua arte com a vida usando de emoções e outros elementos expressivos para agradar e atender a vários tipos de leitores.

d) Vamos refletir sobre a sua experiência pessoal como poeta. Você escreve poesia?Quando escreve?Já teve que escrever poesia, mesmo não acreditando-se poeta?Em que ocasião?

R = Confesso que já escrevi mais e tive mais habilidades para escrever quando a leitura e a escrita faziam mais parte do meu dia-a-dia. Pois com o tempo, ou melhor a falta dele, o trabalho e as preocupações de sempre ,só nos dedicamos a ler o que precisamos para nosso trabalho ou alguma capacitação extra e fui deixando de lado a leitura pelo prazer e com isso escrevo cada vez menos.
Na minha infância e adolescência estava sempre escrevendo algo sobre mim e sobre o que me passava pela cabeça no momento, tinha grande prazer em escrever e guardar meus poemas em cadernos que sempre relia e mostrava aos professores.
Houveram também ocasiões em que em um curso ou capacitação era convidada a escrever e com prazer passava as idéias para o papel mas, nem me lembro qual foi a última vez em que escrevi um poema.

e) Na sua opinião , como se planeja um texto poético?Quais as possibilidades de planejamento?Quais os passos que considera ou mesmo estretégias que utilizaria?

R = É importante levar em consideração que um poema é uma função expressiva individual, assim cada pessoa terá a sua forma de se expresar , de transmitir seus sentimentos e emoções em um texto poético. Porém, quando vamos propor um tema para a produção de um texto poético devemos antes ter uma preparação através do estudo não só de poemas mas também de outros gêneros literários com um determinado assunto para que, a partir de um ponto de referência as ideias venham a fluir em forma de poema.

f) Escreva um poema, mesmo que curto, seguindo os elementos da etapa de planejamento descritos na resposta ao item anterior.Anote novos elementos que não havia considerado na resposta anterior e que surgem quando tenta escrever um texto:


R = POESIA HOJE E SEMPRE


A poesia está no ar,

no luar,

em todo lugar,

basta parar, pra pensar

e pronto

um poema já está a rolar

tudo a nossa volta

sugere um som,

uma palavra ,

um verso,

uma rima,

uma cor,

que nos motiva

e assim começamos a criar

e imaginar

um universo tão grande

que um dia pode acabar

e pensar que com um pequeno gesto

tudo podemos mudar

É só parar

pra pensar

e com os olhos de dentro

enxergar

que a beleza que vemos

prescisamos conservar

para que no mundo inteiro

vida e poesia

não venham a faltar.


Luciana Carvalho de Sousa / setembro -2009



"Ao escrever o poema acima promeiro pensei em falar somente sobre o processo de criação da poesia através da observação do espaço a minha volta , a medida que fui escrevendo já pensei em colocar algo mais atual e falar que tudo que observamos em nosso dia-a-dia e que nos serve de inspiração corre o risco de acabar neste incrível e rápido proceso de destruição do nosso planeta a que estamos assistindo impassivéis e analisar que será não só o fim da natureza mas também do ser humano e de tudo o que ele produz."

g) Anote novos elementos que não havia considerado nas resposta anteriores à escrita do poema e que surgiram quando tentou escrever nesse gênero:

R = Durante o processo de criação do poema ,mesmo não me preocupando tanto com o uso deste recurso, foram surgindo várias rimas ,que acabei usando e isto me fez lembrar a preocupação que nossos alunos tem quando lhes é sugerida a escrita de um poema, se haverá necessidade de rimas que hoje, em tempos de modernismo, não são necessárias mas que, em minha opinião, dão mais riqueza e sonoridade aos versos mesmo que sejam versos livres.

h) Você notou alguma diferença entre às duas respostas?Se sim, a que atribui a diferença ?

R = Na primeira resposta preocumei-me mas com o processo de criação usado e na segunda em analisá-lo esteticamente.

i ) Você desenvolve atividade de produção de poemas com seus alunos?Como os ensina a produzir utilizando esse gênero?A seguir, descreva, brevemente, que atividade de leitura e escrita desenvolve com eles nessas ocasiões>

R = No meu trabalho com meus alunos estou sempre propondo a produção de diversos gêneros textuais a partir do tema em estudo, da proposta do livro didático, de projetos desenvolvidos pela escola ou institucionais, projetos sugeridos pelos alunos,etc.
Sempre procuro antes de chegar ao momento da produção, explorar bastante vários formas de expressão para que o aluno se ambiente com o tipo de texto que terá que produzir e as tome por base para seu trabalho.
No nosso último trabalho trabalhei com dois poemas curtos "Uma dúzia de coisinhas à toa que deixam a gente feliz"(Otávio Roth) e "Coisas"(Maria Dinorah) e após leitura silenciosa, declamação, interpretação oral e escrita surgiram poemas muito bem elaborados por crianças do 6º ano de escolaridade de uma das escolas na qual trabalho com Língua Portuguesa.
É muito importante nesse processo partir de coisas simples, da vivência da criança para que ela se expresse com clareza e prazer.
Vejam alguns exemplos:


COISAS
AUTOR:Rodolfo Gonçalves de Oliveira

Coisas boas:
macarronada, abacaxi
banana e pêssego

Coisas lindas:
músicas, cinema
e teatro

Coisas de todos:
cidade, alegria
e paz

Coisas de poucos:
riqueza, dinheiro,
amigos


POESIA : O EU FELIZ
AUTORA : Larissa Rocha Garcia

A felicidade entra em nosso coração
por pequenos motivos
Às vezes por coisas sem razão

Acordar com o sol raiando no rosto
ganhar um presente
que você sempre sonhou ter
ou até mesmo alguém ficar grudado em você

Às vezes nós ficamos felizes por grandes motivos
Porque a felicidade se espalha
por todo nosso corpo nos deixando felizes
Porque nós temos amigos,temos família
e o melhor de tudo é que nós temos
a felicidade no nosso coração.

(Aluna Larissa Rocha Garcia - 11 anos - Escola Mul. Profª Carmelita Guimarães -Cataguases-M.G)

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Gastronomia Histórica

"Gastronomia Histórica" foi o primeiro tema estudado na área de História no 2º semestre de 2009 pelo 4º ano de escolaridade do Colégio Carmo.
Os alunos investigaram a origem de alguns alimentos que faziam parte da alimentação dos primeiros povos brasileiros: índigenas, africanos e portugueses.
Após a pesquisa foi realizado um delicioso "Lanche Cultural", onde as crianças puderam provar deliciosos alimentos.
Alguns alimentos apresentados:

. BANANA - alimento muito consumido pelos índigenas tem a sua origem na Ásia e é o quarto produto alimentar mais produzido no mundo.

Foi o alimento apresentado pelos alunos: João Gabriel Alves, Bernardo Goulart, Luíza Moura e Murilo Amaral Santos.


. MANDIOCA: alimento cultivado pelos índigenas, tem sua origem na Amazônia e é utilizada no preparo de vários pratos como o bolinho que foi trazido pelo aluno Rafael Cesário e pode ser consumida cozida ou fritinha como foi apresentada pelas alunas Mª Clara Amaral e Isabela Ramos.




. DOCES DE ORIGEM AFRICANA - deliciosos doces que faziam parte do cardápio dos africanos também foram lembrados no lanche como a cocada (Letícia Schelb) e a paçoca (Felipe Bittencourt). . FRUTAS - muito consumidas pelos indígenas , as frutas até hoje fazem parte do cardápio dos brasileiros . A laranja foi apresentada pela aluna Stella Poyares e o abacaxi pelo aluno João Pedro Barroso. . GUARANÁ - De origem índigena é um arbusto originário da Amazônia. O guaraná mais consumido em todo o mundo é o Antártica . Foi o que ficamos sabendo através da apresentação do aluno Igor Paes. . RABANADA E PÃO DE QUEIJO - feitos a base de ovos estão ligados a culinária portuguesa e fazem parte do cardápio dos brasileiros, foram as delícias apresentadas pelas alunas Júlia Moreira e Mª Eduarda Motta.


Parabéns turminha pela pesquisa e pelo capricho das receitas!!!

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Projeto Cartas - Vídeo

Trocar experiências é sempre muito bom!
Neste vídeo o aluno Igor Paes Henriques (4º ano de escolaridade- Colégio Carmo)
lê a carta enviada pela amiga Wessila Loureiro de Assis (6º ano 2 da E.M.Carmelita Guimarães)
video

Projeto Cartas - Vídeo

Foi muito emocionante ver a empolgação das crianças durante o Projeto!
Neste vídeo a aluna Suelen Prata Authoguia(6º ano 2 - E.M.Carmelita Guimarães) lê a carta enviada pela amiga Larissa de Almeida Ricci (4º ano de escolaridade- Colégio Carmo).

video

Projeto Cartas- Carta da aluna Larissa Almeida Ricci (Colégio Carmo)para a aluna Suelen Prata Athouguia (E.M. Carmelita Guimarães)


Cataguases, 29 de maio de 2009.

Olá Suelen!

Eu vou te chamar de Susu,tá? Achei muito fofo este apelido!

O meu aniversário é dia 28 de outubro. Eu vou fazer 10 anos.

Os meus cantores preferidos são os Jonas Brothers e os seus?

E você está fazendo muita bagunça ai?A maioria das vezes ,eu sou bagunceira mas tiro notas boas, espero que seja verdade que nós vamos nos encontrar dia 9/6/2009.

Eu vou dançar Festa Junina sim. A música Cintura Fina do Luíz Gonzaga. A nossa festa será dia 6/6/2009. Nós vamos dançar 2 músicas a 1ª é uma homenagem ao Folclore e a 2ª é a homenagem ao Luíz Gonzaga.

Quero saber se você vai dançar Festa Junina, se é bagunceira, se gostou do apelido que eu te dei e de quel banda você gosta!

Beijos de sua amiga,

LARISSA

Projeto Cartas - Carta da aluna Júlia Rodrigues Moreira (Colégio Carmo) para a aluna Dayana Mendonça Fernandes (E.M.Carmelita Guimarães)


Cataguases, 14 de maio de 2009.

Olá Dayana,

Como vai?
Qual é o seu time?

Tenho uma cachorrinha. Minha cachorrinha não é bagunceira, ela gosta de pular e vive debaixo da minha cama.

Tenho também uns passarinhos e tinha um peixe que já morreu.

Suas cartas foram e vão continuar sendo coladas em meu diário, minhas amigas acharam sua letra maravilhosa.

Não gosto muito de funk.

Beijos,

Júlia










Te adorei!

Projeto Cartas - Carta do aluno Bernardo Carvalho Goulart Féres(Colégio Carmo) para a aluna Débora de Souza Pereira


Cataguases, 15 de maio de 2009
Olá Débora,
Gostei muito se sua carta!
Eu estou estudando vários assuntos interessantes como : as grandes invenções,o ciclo da água, polígonos, aumentativo e diminutivo e também sobre a Dengue.
Beijos,
Bernardo

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Projeto :XÔ DENGUE! - 4º ano de escolaridade - Colégio Carmo




Nossa nota de agradecimento que foi publicada no Jornal Cataguases:


"Os alunos do 4º ano de escolaridade do Colégio Carmo e sua professora Luciana Carvalho de Sousa agradecem ao coordenador do Controle de Endemias ,Wallace George de Oliveira, e ao palestrante Edgar ,pela brilhante palestra da qual participaram no dia 5 de maio.
Na ocasião os alunos puderam aprender um pouco mais sobre a Dengue e as formas de combatê - la,esclareceram sua dúvidas e ganharam brindes com o slogan da campanha "Fora Dengue".
Temos certeza de que esta palestra acrescentou muito a todos nós e nos comprometemos a ajudar no combate a Dengue em nosso município.Parabéns a Secretaria Municipal de Saúde pelo Projeto de Mobilização Social que tem sido feito e aos funcionários pela sua eficiência e disponibilidade."

Projeto Cartas - Escola Municipal Profª Carmelita Guimarães






Ao final de nosso projeto os alunos do 6º ano 2 da Escola Municipal Carmelita Guimarães foram convidados a fazer uma avaliação do Projeto e deixar registrada esta experiência em nosso blog.






Aluna: Vívian Rodrigues Santiago Paes



"Quando comecei a escrever, aqui na escola, as cartas achei um pouco chato ,mas depois que escrevi 3 cartas comecei a gostar de escrever estas cartas.

Comecei assim, como se estivesse me comunicando pessoalmente com a Luíza sem ter que escrever para ela. Cheguei a pensar que nunca ia conhecê-la porque demorou pra ir ao Carmo.

Mas chegou o dia de irmos , eu e meus colegas adoramos a escola, as brincadeiras, as conversas com as meninas de lá. A escola é enorme , nossa escola não chega nem aos pés dela porque a nossa é pública e a da Luíza é particular.

Achei a Luíza muito legal e muito simpática, tomara que a gente se encontre de novo, assim nós vamos ficar mais amigas do que já somos.

Adorei jogar queimada e em diverti muito , eu fiquei com vergonha da Luíza no dia do encontro ,vergonha de puxar assunto com ela mas foi bom porque ela é que começou a puxar conversa comigo."






Aluna: Ysabel Cristina de Oliveira Juvenal



"Eu gostei de ir ao Carmo porque fiz novos amigos. Eu gostei também de mandar cartas para a Letícia, porque em algumas coisas eu sou parecida com ela.Do Carmo o que mais gostei foi da capela, da quadra e da piscina."



Aluna: Wessila Loureiro de Assis


"Foi muito divertido, eu gostei de tudo, gostei muito do meu correspondente. O lanche foi muito bom, teve biscoitos, salgados,bolo. Nós brincamos de queimada e as meninas de lá não jogam nada!Gostei da casinha que tem lá, das crianças pequenininhas brincando, da sala de informática.Gostei de tudo lá!"


Essa galerinha é demais!!

Projeto Cartas - Carta da aluna Maria Eduarda Motta Oliveira( Colégio Carmo) para a aluna Larissa Rocha Garcia


Cataguases, 8 de maio de 2009.
Olá Larissa,
Eu amei sua carta! Agora vou te responder.Tenho várias amigas. Minha professora de História,Geografia, Português,Matemática, Literatura,Religião,Geometria e Artes é a linda,meiga,boa d ++++++++++++++++++ e legal, é a Luciana. A de dança e Ed.Física é a Graziela, a de Inglês é a Simone e de informática é o Magno.
Gosto de roupas coloridas. Estou no 4° ano de escolaridade.
Agora vou te contar algo muito interessante.
Nas aulas de História nós estudamos sobre os três povos que foram os primeiros habitantes do Brasil: portugueses,índios e negros.
Sobre os portugueses nós aprendemos que eles chegaram ao Brasil e queriam escravizar os índios e também que foram eles que trouxeram a língua portuguesa,cantigas de roda e várias comidas.
Sobre os índios nós aprendemos que eles foram os primeiros habitantes do Brasil e que trouxeram hábitos como o de tomar banho todos os dias e comer mandioca.
Sobre os negros aprendemos um pouco de sua cultura, festas,danças como a capoeira, e comidas como a feijoada e a cocada.
E você? O que está estudando em História?
Você usa cabelo preso ou solto? Você não me respondeu se tem apelido.
Beijos,
DUDA


domingo, 2 de agosto de 2009

Redescobrindo a Cidade - 4° ano de escolaridade - Colégio Carmo
















Nossa cidade : Cataguases foi o tema para iniciar o estudo da unidade de Geografia "Redescobrindo a cidade".





Através de uma gincana e da leitura do livro "TAPETE MÁGICO" pudemos aprender e apreciar as belezas de nossa cidade natal.





As crianças foram divididas em equipes e realizaram várias tarefas. A equipe vencedora foi a "verde", formada pelos alunos: Isabella Menta, João Pedro Barroso, Bernardo Goulart,Luíza Moura, João Marcelo Passos e Pedro Novaes.

Projeto Literário:O menino Leo e o poeta Noel - 4° ano de escolaridade - Colégio Carmo
















O livro "O menino Leo e o poeta Noel" de Neusa Sorrenti serviu como ponto de partida para desenvolver um projeto literário e também para o estudo da obra do compositor Noel Rosa.





No primeiro dia do projeto as crianças chegaram a sala e viram um ambiente montado com fotos de Noel,discos de vinil, objetos antigos e puderam ouvir um CD com gravações de músicas compostas por Noel Rosa que foram citadas no livro que iram ler.





Ao som das músicas de Noel,as crianças desenharam em cartazes tudo que ouviam na música e puderam então penetrar no mundo da boémia, do subúrbio e do cotidiano do poeta Noel.





Ao lerem o livro as crianças já tinham um certo conhecimento daquele universo o que foi muito enriquecedor.Qual não foi a minha surpresa ao ver que as crianças adoraram a música "Pierrô Apaixonado" e viviam pedindo para que eu colocasse o CD para que pudessemos cantá-la.





Foi um projeto de grande enriquecimento cultural para todos, com certeza!
Poemas inspirados na música "Conversa de Botequim" de Noel Rosa

POESIA:QUEM DIRIAS
AUTOR: Pedro Novaes Oliveira
Seu garçom me traga uma pizza
bem quentinha
e uma Coca geladinha,
Minha pizza é portuguesa
e quero uma mesa
perto da televisão
que eu vou assistir o Faustão.
POESIA:CONVERSA COM O GARÇOM
AUTORA: Letícia Schelb Reis
Seu garçom faça o favor,
de ouvir o meu pedido,
mas pegue o papel,
ele vai ser comprido.
Me traga uma pizza e uma Coca
batatas com mandioca
um copo de sorvete
e anote meu lembrete
Batatas com sal
mandioca de arraial.
A pizza de calabresa,
duas Cocas para esta mesa
Mas vá rápido!
Já terminei meu pedido!
POEMA: O que eu pedi para o garçom
AUTORA: Mª Clara A. Santos Ferreira
Uma picanha bem passada,
uma Coca
bem gelada,
De sobremesa
um petit gateu,
sobre a mesa
Chega a hora da conta
quando vi o total
pulei pra trás,
cento e noventa reais!